O que é preciso saber na hora de contratar um seguro para pet?

Estilo de Vida
29/08/2018

Por: Milena

Assim como prover uma alimentação adequada, manter o calendário de vacinação em dia, levar para passear e dar banho regularmente, entre outras tarefas, quem tem um pet precisa se preparar para lidar com imprevistos e arcar com todos os cuidados relacionados à saúde do animal.

Além de o planejamento ser necessário para a qualidade de vida do bichinho, ele também é uma preocupação com a saúde da própria família. Isso porque, há muitos anos, os cães conquistaram seu espaço dentro dos lares, convivendo intensamente com adultos e crianças.

A boa notícia é que existe uma modalidade de seguro exclusiva para o melhor amigo dos humanos. Neste post, descubra como funciona e saiba quando vale a pena contratar um seguro para pet!

Para que serve um seguro para pet?

Semelhante a um seguro saúde, o seguro para pets oferece o suporte de uma rede completa de atendimento veterinário. O seguro funciona de acordo com a cobertura da apólice contratada, tanto para consultas de rotina como para casos de emergência.

Algumas modalidades de planos trabalham com a possibilidade de reembolso. Assim, os donos podem ficar à vontade para continuar levando seu bichinho no veterinário de confiança da família, mesmo que ele não pertença à rede referenciada.

Quais são as vantagens desse serviço?

Ao contratar um seguro para pet, mesmo que em um plano básico, cuidar do animal se torna uma tarefa mais prática, facilitando a vida dos donos e, ao mesmo tempo, seu planejamento financeiro.

Quando a apólice garante uma cobertura ampla, que vai de situações corriqueiras a acidentes e doenças, ajuda a evitar que tratamentos caros peguem os donos desprevenidos, desestabilizando o orçamento doméstico.

O seguro para os animais de estimação oferece exames especiais com tomógrafos, ressonâncias, tratamentos oncológicos, ortopédicos, UTI e outros procedimentos de última geração para preservar a qualidade de vida dos pets.

Como um seguro para pet funciona na prática?

Com um seguro para pet, é possível agendar consultas ou fazer atendimentos de urgência (quando a situação exige cuidado, mas não há risco iminente de morte) e emergência (quando a situação demanda a tomada imediata de uma providência).

Assim como tantos outros, o seguro para pet exige o cumprimento do período de carência e limita-se às coberturas previstas em contrato. Geralmente, oferece:

  • atendimento ambulatorial: serviços que podem ser realizados em consultórios. São excluídos serviços que demandam o apoio de estruturas hospitalares;
  • urgência e emergência: atendimento ambulatorial em caso de acidentes que não necessitem de estruturas hospitalares ou de observação por períodos superiores a 12 horas — o que caracteriza internação;
  • consultas: realizadas em clínicas e hospitais veterinários pertencentes à rede referenciada;
  • exames laboratoriais: check-up de rotina, com direito a exames de sangue, urina e fezes, entre outros mais complexos;
  • vacinas: aplicação das principais indicações, para prevenir doenças que ameaçam a saúde dos animais;
  • atendimento em domicílio: em casos que exigem cuidados especiais, com mais comodidade, rapidez e eficiência no amparo ao animal;
  • contato por telefone: atendimento 24 horas por dia, com veterinários de plantão, para esclarecer quaisquer dúvidas sobre a saúde do pet;
  • nutricionista: orientações sobre nutrição de acordo com raça, idade, peso, histórico de doenças e hábitos de vida.

O que considerar ao contratar esse serviço?

Guardadas as devidas proporções, os mesmos fatores importantes na escolha de um plano de saúde devem ser considerados antes de contratar um seguro para pet. São eles:

  • preço: deve ser visto sob a ótica do custo-benefício. Um plano básico costuma custar menos de R$ 2 ao dia e dá direito a consultas clínicas, vacinas, procedimentos ambulatoriais e alguns exames laboratoriais;
  • rede referenciada: além de ser ampla, avalie se existem boas clínicas, bons hospitais veterinários e laboratórios especializados perto da sua residência e de locais para onde costuma viajar e levar o pet;
  • coberturas e carências: avalie o prazo entre a contratação do seguro e o direito de usar os serviços disponíveis;
  • qualidade do atendimento: peça indicações de amigos, veja sites de reclamação, leia comentários em relação às avaliações nas redes sociais e observe, principalmente, o modo como a empresa responsável lida com as críticas dos clientes;
  • prontuário eletrônico ou microchipagem gratuita: permitem que qualquer especialista que venha a atender o animal tenha acesso completo ao seu histórico de tratamentos, medicamentos e diagnósticos anteriores;
  • facilidades extras: atendimento em domicílio, acompanhamento por telefone, descontos em produtos e serviços veterinários nos maiores pet centers, assistência funerária, entre outras vantagens;
  • público-alvo: infelizmente, por enquanto nem todos os animais de estimação podem desfrutar dessa comodidade — o seguro para pet, na maioria das seguradoras, é exclusivo para cães.

Como contratar um seguro para seu melhor amigo?

Assim como em qualquer tipo de seguro, a melhor maneira de acertar na elaboração de uma apólice é por meio da assessoria de um bom corretor de seguro.

Apenas um profissional capacitado pode combinar os desejos e as possibilidades financeiras dos donos às características do pet para indicar a melhor seguradora e o plano ideal. Por isso, forneça apenas informações verdadeiras ao seu corretor.

Ainda que não seja muito comum, algumas corretoras de seguros já contam com esse tipo de serviço em seu portfólio. A Pulso, por exemplo, oferece o Seguro Pet com planos a partir de R$ 55,67 — valor baixo, se comparado à tranquilidade que o serviço proporciona à família.

O mais legal é que os diferentes tipos de coberturas da Pulso foram elaborados com a consultoria de especialistas em Medicina Veterinária, de modo a oferecer o melhor acompanhamento possível para cães de diferentes faixas etárias.

Entre as coberturas disponíveis, chama a atenção um plano específico para o cuidado de animais idosos — com nove anos ou mais: o Pet Senior. Nessa fase, o desenvolvimento de doenças crônicas e os problemas de coluna e/ou respiratórios é bastante comum.

Com tantas vantagens e possibilidades, contratar um seguro para pet se mostra uma sábia decisão. Além de facilitar e melhorar os cuidados com a da saúde dos animais e, consequentemente, dos donos — que vivem rodeados pelos fiéis companheiros —, o investimento ainda evita prejuízos financeiros em decorrência de alguma eventualidade, como acidentes ou doenças.

Se você se preocupa com o bem-estar do seu pet, não corra mais riscos. Entre em contato com a Pulso agora mesmo!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo