Calendário de vacinação pet: conheça as principais datas

Estilo de Vida
27/06/2018

Por: Milena

Tidos como membros da família, os bichos de estimação merecem todos os cuidados para garantir seu bem-estar e qualidade de vida. Para isso, além de oferecer uma alimentação saudável, prover um ambiente limpo e confortável e fazer passeios regulares, os donos devem seguir o calendário de vacinação. Assim, previne-se uma série de zoonoses, colaborando para que seu pet viva mais e melhor.

Para conhecer as principais vacinas para cachorros e gatos, acompanhe este post!

Quais são as principais datas de vacinação para cães?

No Brasil, a única vacina obrigatória para cães é a antirrábica, a qual é disponibilizada gratuitamente nas prefeituras.

No entanto, por protegê-los contra diversas doenças infectocontagiosas, as vacinas polivalentes V8 ou V10 são consideradas indispensáveis.

Já as vacinas contra a giárdia, a leptospirose e a gripe, apesar de comuns no país, devem ser administradas somente quando há indicação do médico veterinário.

Confira as principais datas do calendário de vacinação canino:

  • com um mês e meio: primeira dose da vacina polivalente V8 ou V10;
  • com três meses: segunda dose (reforço) da V8 ou V10 e, se houver indicação, primeiras doses da vacina contra a gripe canina e da vacina contra a giardíase;
  • com quatro meses: última dose da V8 ou V10, primeira dose da vacina antirrábica e, se necessário, segundas doses (reforços) das vacinas contra a gripe canina e a giardíase;
  • anualmente: reforços das vacinas antirrábica e polivalente V8 ou V10.

Quais são as principais datas de vacinação para gatos?

A única vacina obrigatória para os felinos domésticos é a antirrábica, a qual é oferecida gratuitamente pelas prefeituras.

No entanto, a vacina quádrupla felina (contra a panleucopenia, que ataca os sistemas digestivo e sanguíneo; a Chlamydia psittaci, que causa infecção respiratória e ocular; e o calicivírus e a rinotraqueite, que provocam doenças respiratórias) também é indispensável.

Outras vacinas podem, ainda, ser administradas, de acordo com a avaliação do médico veterinário. Acompanhe no calendário:

  • aos dois meses: primeira dose da vacina quádrupla felina;
  • aos dois meses e meio: se houver prescrição, vacina contra a leucemia felina (uma das principais causadoras de óbitos em gatos);
  • aos três meses: segunda dose (reforço) da quádrupla felina;
  • aos três meses e meio: segunda dose (reforço) da vacina contra a leucemia felina;
  • aos quatro meses: primeira dose da vacina contra a raiva e última dose (reforço) da quádrupla felina;
  • anualmente: reforços das vacinas contra a raiva e quádrupla felina.

Quais cuidados devem ser tomados antes de imunizar o animal?

Antes de vaciná-lo, certifique-se de que ele está bem de saúde, desparasitado e tem idade para receber a dose — o que garante que seu sistema imunológico esteja maduro o suficiente para a vacina atuar, ou seja, criar anticorpos.

Em média, aguarda-se até o desmame (por volta dos dois meses de vida), tanto para cães quanto para gatos. Antes disso, evite que o filhote saia de casa e conviva com outros animais.

Por fim, prefira vacinar o animal pela manhã, pois, em caso de reação adversa, é possível observar e, se necessário, retornar ao veterinário. Ficar um pouco amuado, no entanto, é considerado normal.

Por que é importante seguir o calendário de vacinação pet?

Além de monitorar a saúde do animal, acompanhar as datas das imunizações é importante para se programar financeiramente e não levar nenhum “susto”.

Segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o chamado custo de manutenção de um cão adulto (de médio porte) é de R$ 278,21 mensais e, de um gato adulto, de R$ 121,39.

Trata-se, porém, de uma estimativa mínima, pois a indicação de vacinas pode ir além das básicas — já que as recomendações mudam de região para região, por conta de endemias vigentes.

Por isso, somente um médico veterinário pode informar, especificamente, sobre o calendário de vacinação local. Antes de viagens, a atenção deve ser redobrada.

Assim, além de dar atenção e carinho, a criação de um pet implica custeio de diversas despesas. Se não contabilizados, ração, banho e tosa, produtos de higiene, antipulgas, vermífugos, consultas veterinárias, bem como vacinas, podem impactar no orçamento doméstico.

Porém, não é preciso se preocupar! Se você deseja prevenir os imprevistos financeiros, veja como fazer um planejamento financeiro para a família!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo