Entenda como um bom controle de frota pode mitigar riscos e perdas

Negócios
1/10/2018

Por: Milena

O controle de frota requer toda atenção e cuidado, pois pode ser o foco de uma redução bastante significativa no desempenho das empresas. Ao mesmo tempo em que erros no percurso podem conduzir a atrasos na entrega, incidentes maiores de furto e violência podem transformar-se em perdas que, às vezes, são irreparáveis.

Assim, o sucesso das operações de carga e descarga efetuadas com a devida presteza capaz de encantar os clientes depende de uma boa gestão da frota e das variáveis que a afetam. Do mesmo modo, a eficiência dos processos de distribuição está diretamente relacionada à gestão adequada de todos os procedimentos adotados.

Continue neste post, conheça as principais iniciativas que dão resultado e entenda como um bom controle de frota pode reduzir riscos e perdas!

Contratação de um seguro de frota

Quando se trata da gestão de perdas, a primeira preocupação é a existência de um seguro para cobri-las. No caso de frotas, as fatalidades podem ser responsáveis por prejuízos muito grandes quando não se está devidamente resguardado.

O seguro de frota funciona como o seguro veicular individual. A diferença é que, no de frota, diversos veículos são segurados em uma apólice única. No entanto, apesar de se tratar de apenas uma apólice, os sinistros de cada veículo são considerados individualmente. Desse modo, os valores das indenizações não são necessariamente os mesmos e dependem dos veículos segurados.

Para a contratação do seguro, considere o auxílio de uma boa e experiente corretora de seguros. Sua orientação especializada facilitará o acesso às melhores propostas do mercado, além de auxiliar ao longo de todo o processo, inclusive, na utilização por ocasião de algum sinistro.

Uso de tecnologia especializada

Um dos melhores aliados da gestão de logística é a tecnologia. Desde pequenas frotas até grandes empresas especializadas em transporte, nenhuma deve prescindir da tecnologia especializada para garantir eficiência, controle e segurança na condução dos trabalhos.

Para isso, equipamentos diversos e plataformas específicas facilitam os trabalhos de gestão, oferecendo benefícios como:

  • monitoramento do estoque de mercadorias;
  • acompanhamento dos pedidos;
  • planejamento de rotas para otimização;
  • rastreamento de cargas e roteirização;
  • emissão de documentos;
  • análise de relatórios de desempenho.

Em termos de segurança da frota e de otimização de rotas, o monitoramento de cada veículo oferece inúmeras facilidades. Por meio do rastreamento com base em tecnologia GPS, a localização de cada carro fica bem mais fácil de ser identificada.

Além disso, sistemas georreferenciados oferecem a possibilidade de traçar rotas alternativas — otimizando as entregas —, de avaliar o tempo nas paradas e muito mais. Do mesmo modo, uma câmera na cabine, um computador de bordo e um sistema permanente de comunicação disponibilizam todo suporte para o motorista e para o responsável pelo controle de frota.

Investimento em treinamento de equipe

Treinamento e reciclagem periódica dos membros da equipe podem reduzir os riscos e mitigar as perdas. O foco deve ser sempre a implementação das boas práticas, assim como a redução de perdas e desperdícios.

Para que os resultados sejam efetivos, todos devem ser recorrentemente treinados e orientados. Considere que cada um em sua área (motoristas, carregadores, despachantes etc.) deve estar ciente dos princípios que regem uma gestão de frota de sucesso.

Por sua vez, esse é um cuidado que deve ser observado desde a contratação. Uma boa avaliação do perfil, em especial dos motoristas, apresenta-se como um passo favorável nessa direção. Ao mesmo tempo, a capacitação valoriza o colaborador e aumenta sua satisfação profissional.

Manutenção adequada da frota

Diz-se que o acidente é o resultado de uma sucessão de falhas e erros. Esse princípio aplica-se perfeitamente à manutenção de veículos e à gestão de todo o setor.

Quando uma frota está deficiente nos cuidados rotineiros e periódicos, no mínimo, atrasos e falhas no cumprimento das missões são esperados. No entanto, em situações mais críticas, o risco de acidentes torna-se uma presença constante.

Por sua vez, a manutenção das condições ideais de uma frota não depende apenas da equipe de mecânicos da oficina. O motorista que opera o veículo tem grande responsabilidade na maneira como dirige, na prática da direção defensiva e nos cuidados que dispensa verificando as condições rotineiras que lhe cabem.

Uma gestão mais próxima da manutenção e das condições dos veículos pode evitar muita perda desnecessária, além de economizar em insumos e na vida útil da frota.

Planejamento dos processos de distribuição

A utilização da frota deve ser otimizada para que o desempenho seja sempre melhor e os custos, menores. Perdas de trajeto, retornos sem sucesso na entrega e ausência de otimização do percurso estão entre os grandes fatores de custos.

Por essa razão, a logística é cada vez mais estratégica para a empresa. Do mesmo modo, em função dela, é imprescindível planejar. Para esse fim, o ideal é promover uma completa revisão e redesenhar os processos de distribuição. Um mapeamento desses processos até então adotados permite identificar e localizar gargalos que puxam os resultados para baixo.

Nesse trabalho, entre outras iniciativas, é importante definir padrões operacionais, considerar a gestão de riscos envolvidos, estabelecer rotas básicas e monitorar os resultados obtidos. Para o monitoramento, estabeleça indicadores específicos, defina sua periodicidade e acompanhe os resultados.

Ajustando-se às necessidades de adequação que surgirem, aprimora-se o planejamento inicial e promove-se uma constante releitura. Nesse sentido, quando mudanças ocorrerem, elas devem ser divulgadas para todos os envolvidos e as respectivas orientações para os novos procedimentos, indicadas.

Adoção de indicadores de gestão

A gestão da frota, com todas as nuances que envolve, deve estabelecer indicadores próprios para avaliação de seu desempenho. Assim, além de fazer uso de indicadores específicos para determinadas atividades, é interessante utilizar outros que meçam o resultado geral. Essa é sua participação nos negócios, especialmente para as empresas exclusivamente transportadoras.

Entre outros, os seguintes indicadores devem estar na mira permanente de qualquer gestor de frota:

  • avaliação do tempo de entrega pela distância percorrida;
  • custos por quilômetro rodado;
  • índice de perdas de carga;
  • índice de não conformidades (retornos e devoluções);
  • motivos de reclamação dos clientes;
  • índice de satisfação dos clientes;
  • ociosidade dos veículos;
  • valor médio das entregas.

Dessa forma, é possível obter uma visão real dos resultados alcançados com as iniciativas de gestão da frota adotadas. Entre outros indicadores, esses resultados possibilitarão o ajuste necessário para nortear a empresa.

Pelo exposto, você pode perceber a importância do controle de frota para a redução de riscos e perdas e entender o que fazer para promover melhorias na sua gestão.

Se você gostou deste post e sabe da relevância de mitigar riscos, entre em contato conosco e conte uma equipe pronta para orientá-lo!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo