Seguro para frota: Quais são os tipos de seguro para essa modalidade?

Automóvel
27/10/2017

Por: Milena

Contratar um seguro de automóveis é essencial para garantir sua segurança e evitar prejuízos materiais. Mas você sabia que não é preciso contratar seguros individuais caso tenha muitos carros à sua disposição? Basta optar pelo seguro para frota de veículos.

 

Se você ou sua empresa têm diversos automóveis em seu patrimônio, utilizados constantemente por pessoas diferentes, é possível contratar um único seguro que abranja todos esses veículos, sem se preocupar em especificar cada um dos condutores.

 

Para entender melhor como funciona esse seguro e quais são suas peculiaridades, separamos aqui as informações mais importantes. Confira!

 

Como funciona seguro para frota de veículos?

A resposta a essa pergunta é bem simples: ele funciona como qualquer outro seguro! Se algum dos veículos protegidos se envolver em um acidente que caracterize o sinistro, o segurado será indenizado de acordo com a cobertura contratada.

 

A diferença aqui é que não é apenas um carro que está segurado individualmente, mas, sim, uma frota inteira. Ou seja, o contrato é um só, porém, abrange mais de um veículo.

 

Tanto pessoa física como jurídica podem contratar esse seguro. Em geral, bastam dois veículos para que a frota seja caracterizada. Porém, isso é algo a ser acertado diretamente com a seguradora, pois algumas exigem um número mínimo específico. A quantidade de veículos necessários para contratar o seguro varia de acordo com cada seguradora.

 

Essa é a opção ideal para empresas e empreendedores com diversos carros em seu nome, utilizados constantemente por condutores diferentes. A principal vantagem é que, ao contrário do seguro individual, não é preciso especificar cada um dos condutores no seguro para frotas.

 

Além disso, dependendo das características do grupo de veículos e do seguro contratado, é possível obter vantagens específicas no momento de fechar negócio com a seguradora. Essa é uma excelente forma de poupar dinheiro e, ao mesmo tempo, facilitar a proteção dos veículos à sua disposição.

 

O que difere o seguro de frota do individual?

A principal diferença entre um e outro está na apólice. No seguro para frota de veículos, um único contrato pode abranger diversos veículos. Já no seguro individual, é preciso uma apólice diferente para cada automóvel segurado. Como já foi mencionado no tópico anterior, não é preciso especificar os condutores na apólice do seguro de frotas; já no individual, sim.

 

Porém, devemos ressaltar que o seguro para frotas depende de algumas análises específicas que vão influenciar tanto no seu preço, como na sua cobertura. Essas análises levam em consideração o conjunto da frota como um todo, ou seja: a quantidade e categoria de veículos, tipo de atividade dos condutores ou da empresa, região de circulação, histórico de sinistros, entre outros aspectos.

 

Outra diferença está no fato de que um único sinistro não faz o preço da apólice subir, como acontece no seguro comum. Os valores variam de acordo com a atuação de todos os carros em conjunto, e não de forma individual.

 

Quais são os tipos de seguro para frotas?

Existem dois tipos principais: grupos de afinidade e apólices coletivas. O que os diferencia, em resumo, é a forma como é feito o pagamento do prêmio (valor do seguro). Veja só:

 

Grupos de afinidade

O seguro, nesse caso, é contratado por um empregador ou associação constituída por empregados de uma mesma empresa.

 

Apesar de existir apenas uma única apólice, a seguradora deverá emitir certificados de seguro individuais que serão distribuídos para todos os integrantes do grupo.

 

O pagamento de cada seguro é feito de forma independente, geralmente pelos próprios empregados. Porém, é possível que o pagamento seja feito integralmente pelo empregador (caso o seguro tenha sido contratado por ele) ou dividido entre empregador e empregados em proporções estabelecidas em comum acordo.

 

De acordo com os critérios da seguradora, os dependentes dos associados podem, ou não, ser incluídos na apólice. Já o empregador poderá incluir seus próprios carros no seguro contratado.

 

Apólices coletivas

Ao contrário do caso anterior, aqui a apólice é emitida para uma única pessoa, seja ela jurídica ou física, pois toda a frota de carros está em seu nome. Dessa forma, a cobrança é única, sem a necessidade de emitir certificados individuais.

 

Se o contrato de seguro for feito por uma pessoa jurídica, é possível incluir também os veículos dos diretores e das empresas subsidiárias ou coligadas, desde que sejam legalmente reconhecidas.

 

Caso novos veículos sejam adquiridos pelo segurado durante o prazo da apólice, é possível adicioná-los ao seguro, desde que seja feito o pagamento do prêmio correspondente.

Como funciona a indenização no seguro para frota?

Em geral, a cobertura do seguro para frota garante as mesmas proteções do individual, dependendo do que estiver disposto na apólice. O mais comum é a cobertura de danos por colisão, furto, roubo, incêndio e explosões. É possível também contratar coberturas adicionais que, em muitos casos, se adequam perfeitamente às necessidades de quem usa o carro para trabalhar. Alguns exemplos são:

  • carro extra: o seguro garante a disponibilidade de um veículo extra enquanto o principal estiver em conserto;
  • lucros cessantes: o segurado pode receber as diárias pelos dias não trabalhados enquanto o veículo estiver indisponível;
  • despesas extraordinárias: nos casos de indenização integral, fica garantido o reembolso de outras despesas que possam surgir, advindas do sinistro;
  • acessórios: a cobertura abrange os acessórios roubados ou danificados no veículo, como aparelhos de som e GPS.

Assim como acontece no seguro individual, o sinistro pode ser total ou parcial. Se o conserto do veículo ficar acima de 75% do seu valor, será total. Caso contrário, será parcial.

A indenização segue essa mesma lógica: nos sinistros parciais, será indenizado apenas o valor do conserto, devendo o segurado arcar com o preço da franquia. Nos sinistros integrais, porém, a indenização será total, ou seja, o segurado deverá receber o valor de mercado do veículo ou o valor determinado na apólice, dependendo do que foi contratado.

Nos casos de furto e roubo, o sinistro será considerado integral apenas se o veículo não for encontrado. Vale lembrar que não é necessário pagar o valor da franquia para receber a indenização integral.

O valor da indenização é considerado de forma separada para cada carro que fizer parte da frota do segurado. Os sinistros são analisados individualmente, apesar de existir apenas uma única apólice.

Como escolher o melhor seguro?

Ao contratar um seguro para frota de veículos, é preciso ficar atento aos termos da apólice para ter certeza de que a cobertura prevista abrange todos os eventos danosos dos quais você busca se proteger.

Para saber se a seguradora preenche todos os requisitos exigidos por lei para funcionar, verifique se ela é credenciada à SUSEP. Para isso, basta acessar o site da autarquia e pesquisar pelo nome da seguradora em questão.

Não deixe de comparar preços e vantagens em diversas seguradoras diferentes para ter certeza de que você está obtendo o melhor serviço. Por mais que seja cansativo, essa pesquisa é essencial para garantir um bom negócio e evitar dores de cabeça no futuro.

Para facilitar essa escolha, a ajuda de uma boa corretora é essencial. Além de oferecer as melhores propostas, a corretora também pode auxiliá-lo durante todo o processo de negociação e utilização do seguro, sanando todas as dúvidas que possam surgir.

Hoje em dia, não vale a pena andar de carro sem nenhum tipo de proteção. O seguro para frota de veículos é uma excelente escolha para empresas e empreendedores que possuem vários carros e buscam uma forma simples e econômica de protegê-los contra imprevistos.

Se você ainda tem alguma dúvida sobre o assunto ou busca auxílio para escolher uma boa seguradora, aproveite e entre em contato conosco! Teremos prazer em ajudar!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo