Conheça os tipos de apólices para diferentes seguros

Estilo de Vida
5/02/2018

Por: Milena

No nosso cotidiano, estamos expostos a diversos riscos que podem nos causar prejuízos inestimáveis, seja o roubo de um veículo, seja um problema em uma viagem. Por isso, é sempre importante poder contar com um seguro que minimize os danos causados por qualquer imprevisto.

 

O problema é que muitas pessoas se sentem confusas diante da enorme quantidade de termos e nomenclaturas que cercam o contrato de seguro. Um exemplo disso é a apólice, que muita gente ainda não sabe o que significa.

 

Para evitar que essas questões se tornem um empecilho na hora de fechar o acordo com uma seguradora, vamos explicar neste post o que significa e quais são os diferentes tipos de apólices que existem no mercado. Confira!

 

Quais são os tipos de seguro mais comuns?

Ao contratar um seguro, estamos tentando nos proteger contra eventuais danos que causem prejuízos materiais ou possam ser convertidos em valor monetário. Dessa forma, existem diversos tipos diferentes de situações ou objetos que podem ser segurados. Observe alguns exemplos:

 

Automóveis

O seguro automotivo contra furto e roubo garante ao segurado o ressarcimento do valor de mercado do veículo caso ocorra o sinistro, ou seja, a concretização do evento danoso previsto no contrato — que, nesse caso, seria o furto ou roubo do automóvel.

 

No seguro auto, também é possível contratar coberturas diferentes, que protegem o veículo e o motorista em outras situações, como acidentes de trânsito, incêndios, colisões etc.

 

Portáteis

Outro exemplo que está bastante popular nos dias de hoje é o seguro de objetos portáteis, como notebooks, celulares e tablets. Diante do alto valor desses bens e a enorme quantidade de roubos que acontece nas grandes cidades, não vale a pena deixar desprotegido.

 

O seguro, nesse caso, garante o ressarcimento do valor do bem (caso ele seja roubado) ou do conserto (em casos de avarias no aparelho).

 

Residência

A casa própria é um dos bens mais valiosos que uma pessoa pode ter. Diante disso, não é possível deixá-la desprotegida, tendo em vista a quantidade de imprevistos danosos que podem acontecer.

 

O seguro residencial tem como objetivo proteger os imóveis contra furtos, roubos, incêndios, explosões, quedas de raios e diversos outros eventos que possam causar prejuízos materiais.

 

Viagem

Por mais que você planeje uma viagem, não é possível garantir com 100% de certeza que nenhum imprevisto vai acontecer. Por isso, é importante contratar um seguro para garantir que sua viagem seja tranquila e saia do jeito que você planejou, ainda que aconteça alguma emergência.

 

O seguro viagem garante assistência em caso de acidentes, atrasos de voos, extravio de bagagem, entre diversos outros riscos. É possível também contar com serviços como translado e hospedagem emergencial.

 

Vida

O seguro de vida tem como principal objetivo garantir que os familiares do segurado recebam uma indenização caso aconteça alguma fatalidade. Dependendo dos termos do contrato, essa indenização pode ser feita em forma de renda vitalícia ou em forma de valor integral previamente estipulado.

 

Mas esse seguro não é utilizado apenas em caso de morte. Ele também serve para proteger contra acidentes que causem a invalidez temporária ou permanente do segurado, garantindo o pagamento de uma indenização de acordo com os termos do contrato.

 

O que é a apólice no seguro?

Como mencionamos, o seguro nada mais é do que um contrato celebrado entre duas partes: segurado e seguradora. Dessa forma, como acontece com qualquer outro tipo de contrato, é necessário que exista um documento específico para confirmar os termos do acordo. Esse documento é a apólice.

Os principais pontos mencionados na apólice de seguro são:

  • descrição do bem segurado;
  • definição das coberturas e garantias;
  • direitos e deveres das partes.

Ao contratar uma apólice, o segurado está formalizando o contrato com a seguradora, confirmando todos os termos e cláusulas dispostos ali. Ou seja, ele está aceitando todas as condições de validade e acionamento do seguro, incluindo o valor do prêmio, condições de indenização e valor da franquia.

 

Como a apólice deve expressar claramente os mínimos detalhes do contrato, é essencial que o segurado leia todos os termos para ter certeza de que está obtendo aquilo que queria. É preciso ficar atento principalmente às condições especiais e particulares do documento, pois elas restringem ou alteram as condições gerais, modificando, por exemplo, hipóteses de validade do seguro.

 

Ao pensar em contratar um seguro, é interessante comparar apólices de diferentes seguradoras para avaliar qual delas é mais vantajosa, oferecendo as melhores condições de cobertura e indenização.

 

Por fim, a apólice também é utilizada para sanar quaisquer dúvidas acerca do seguro. Logo, caso haja um conflito entre segurado e seguradora, esse documento deverá ser usado como forma de solução, tendo em vista que todas as informações estão dispostas ali.

 

Quais são os tipos de apólices que existem?

Além de existirem tipos diferentes de seguro e de coberturas, também existem diversos tipos de apólices. Apesar de ser apenas uma questão de nomenclatura para contratos que têm características diferentes, é importante que você saiba distingui-las para não ficar confuso na hora de fechar acordo com a seguradora.

 

Apólice bilhete de seguro

Trata-se apenas de uma nomenclatura para a apólice entregue como comprovante do pagamento do prêmio pelo segurado, indicando que o seguro já está validado. Ou seja, ao fechar o contrato com a seguradora, essa apólice representa simultaneamente a proposta, os termos do contrato e a comprovação de pagamento.

 

Apólice individual ou coletiva

Essa distinção é utilizada principalmente nos casos de seguro de vida. Serve para distinguir o contrato feito com apenas um segurado (individual) daquele feito por empresas, associações ou instituições compostas por diversas pessoas com interesses em comum (coletiva).

 

Apólice facultativa ou compulsória

Nos seguros obrigatórios — DPVAT, condomínios etc. —, a apólice é compulsória, ou seja, seus termos não podem ser negociados entre as partes, pois se trata de uma obrigação legal.

 

Já a apólice facultativa é aquela contratada por livre e espontânea vontade do segurado. São contratos privados, celebrados entre as duas partes com o objetivo de beneficiar ambas.

 

Apólice de riscos nomeados

Ao optar pela apólice de riscos nomeados, as condições do contrato estarão limitadas a casos específicos. O seguro vai cobrir apenas os riscos expressamente previstos no contrato, que serão individualizados em apenas uma categoria e natureza.

 

Apólice compreensiva

Ao contrário da anterior, a apólice compreensiva abrange riscos de diversas naturezas que, normalmente, seriam cobertos por seguros de ramos diferentes. Um exemplo disso é a apólice coletiva para táxis, que engloba não só os danos causados ao veículo, mas também os lucros cessantes e acidentes pessoais.

 

Apólice multirrisco

O conceito é basicamente o mesmo da apólice compreensiva, porém, na multirrisco, o contrato não precisa necessariamente abranger situações de naturezas diferentes. O seguro garante apenas a cobertura de diversos riscos — independentemente do seu segmento — sob um único contrato.

 

Entender as diferenças entre os tipos de apólices é importante para se acostumar com os termos usados nos contratos e evitar confusões. Em todo caso, é bom contar com o apoio de um corretor de seguros, pois, dessa forma, você pode consultá-lo para sanar qualquer dúvida!

 

Quer saber mais sobre a função e a importância desse profissional? Então, aproveite para ler o post em que falamos sobre as vantagens de poder contar com um corretor na hora de contratar um seguro!

0/5(0 Reviews)

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo