Entenda as diferenças entre seguro de viagem e seguro do cartão

ViagemEstilo de Vida
28/12/2017

Por: Milena

Para planejar uma viagem, é preciso organizar corretamente todos os detalhes, da mala ao roteiro, para que nada dê errado. Afinal, se existe um momento em que o estresse é indesejado, esse seria um bom exemplo.

 

Viajar é sinônimo de lazer e diversão, mas nem por isso as responsabilidades devem ser ignoradas. Portanto, toda a preparação deve ser cuidada com atenção e segurança.

 

Foi pensando nisso que resolvemos elaborar este post. Nele, vamos abordar um assunto muito importante quando se fala em viagem: os seguros. Além de outras questões, vamos apontar as diferenças entre o seguro de viagem e o seguro do cartão de crédito.

 

Ficou interessado e quer ficar por dentro de tudo? Então, continue sua leitura!

 

O que é um seguro de viagem?

Geralmente, esse tipo de seguro oferece uma indenização nos casos de ocorrências que exponham os viajantes a algum risco. E, com a constante evolução do mercado, as seguradoras vêm, cada vez mais, buscando um atendimento personalizado — de acordo com o perfil dos seus clientes e as demandas por eles solicitadas.

 

Vale destacar que, no Brasil, o órgão responsável pelas regulamentações dos planos é o Conselho Nacional de Seguros Privados. E, além disso, a principal diretriz do setor é a Resolução n°315  ela quem dita as regras atuais que devem ser cumpridas.

 

Como mencionamos, o desenvolvimento contínuo do segmento tem favorecido a criação de coberturas específicas que buscam atender às necessidades individuais de cada consumidor. Por tal razão, vale a pena consultar os seguros disponíveis e nunca deixar de contratá-los quando for o caso.

 

Hoje em dia, as condições contratuais são amplas e conseguem ofertar muitas possibilidades de proteção aos contratantes. Também os preços são interessantes e acessíveis — variando de acordo com a modalidade contratual e a quantidade de dias da viagem.

 

Dessa maneira, é importante lembrar que, mesmo quando tudo está planejado detalhadamente, é bom estar sempre prevenido: se imprevistos acontecem, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta de prudência.

 

Quais as coberturas básicas desse serviço?

Talvez, essa seja a pergunta que esteja fazendo neste momento. Afinal, é bem natural que queira saber o porquê é tão importante adquirir as garantias de um seguro.

 

Neste tópico, vamos identificar as principais coberturas previstas nas cláusulas contratuais. São elas:

  • despesas médicas, hospitalares e odontológicas em viagem nacional ou internacional
  • indenização por invalidez total ou imparcial provocada por acidente de viagem;
  • indenização por morte em viagem provocada por causas naturais ou acidentais;
  • pagamento de despesas do translado médico;
  • cobertura dos gastos nos casos de regresso sanitário;

Vale destacar que nas viagens internacionais as coberturas relacionadas aos atendimentos médicos, hospitalares e odontológicos são obrigadas a cobrirem os gastos tanto em situações de acidentes pessoais quanto nas situações de doenças agudas – respeitado o limite de valor contratado.

 

Outro ponto importante diz respeito a assistência no caso de doenças que já estão diagnosticadas, pois é comum que as seguradoras já definam as ocasiões de urgência e emergência com o intuito de evitarem maiores transtornos.

 

Normalmente, as comorbidades preexistentes são consideradas como um risco que não está incluído na cobertura. No entanto, para formalizar essa informação é preciso que a seguradora exija do segurado um atestado de saúde, pois, do contrário, não haverá o que contestar.

 

Afinal, o que é o seguro do cartão de crédito?

Bem, inicialmente, vamos esclarecer que o seguro de viagem e o seguro do cartão de crédito que estamos nos referindo abrangem o mesmo tipo de serviço: a contratação de apoio e a assistência para situações de riscos em viagens.

 

No entanto, os seguros oferecidos pelos cartões de crédito podem ser mais limitados e só podem ser adquiridos quando as passagens forem compradas no cartão. Enquanto isso, as corretoras de seguros e agências oferecem a possibilidade de contratar um seguro mais amplo e adequado aos interesses do cliente.

 

Existem algumas empresas de cartão que já dispõem desses planos nos seus serviços. São exemplos disso, os cartões Master Platinum ou Black e também o Visa Infinite ou Platinum. Contudo, como já foi dito, as passagens devem ser compradas neles e o viajante não pode esquecer de confirmar se o benefício, realmente, está disponível e quais são os valores, limites de cada cobertura. Leia o contrato!

 

Quais as diferenças do seguro de viagem e seguro de cartão?

Basicamente, a principal diferença serão as limitações entre a abrangência dos serviços assistenciais de ambas as modalidades. De qualquer maneira, é importante comparar e definir qual será o mais adequado ao seu interesse.

 

Essa análise permitirá que decida o que é mais interessante para você: um contrato feito direto com uma corretora ou o contrato no cartão. Na segunda opção, os valores estabelecidos como limites podem não ser suficientes para todas as necessidades. Por tal motivo, realize uma pesquisa criteriosa.

 

Além do mais, as coberturas cedidas pelos cartões oferecem um tempo máximo de 30 ou 60 dias de viagem. Logo, para aqueles que pretendem realizar um roteiro mais longo, essa pode não ser a melhor opção. Nesses casos, sugere-se planos mais personalizados — uma vantagem que só as corretoras dominam.

 

Quais as vantagens do seguro de viagem de uma corretora?

Depois de avaliarmos as condições dos seguros oferecidos pelos cartões de crédito, é hora de conhecermos os benefícios de uma contratação efetuada por uma agência ou corretora especializada.

 

Frequentemente, essa opção é a mais indicada por especialistas, pois, além de conceder uma assessoria básica, ela pode ir além e ofertar recursos extras a quem vai viajar e quer se sentir seguro — seja qual for o seu destino.

 

Com a finalidade de garantir e preservar a total praticidade e proteção do contratante, as seguradoras não só disponibilizam os pacotes essenciais, mas também as coberturas adicionais, como a indenização pelas bagagens extraviadas ou danificadas, a indenização para despesas com funeral, assessoria para cancelamento de viagem e, ainda, o auxílio quando houver necessidade de regresso antecipado.

 

Todavia, existem mais escolhas adicionais e variados limites de cobertura. O leque de opções possui planos definidos pelo perfil do viajante e também pelo destino do passeio. Podem variar, a depender do plano escolhido, de USD 15.000 até USD 200.000

 

Quais são as alternativas assistenciais oferecidas pelos seguros de viagem?

Certamente, embora existam muitas alternativas de cobertura, nem sempre elas serão necessárias e obrigatórias. Por isso, é importante que você conheça todas as possibilidades para que possa definir quais atendem às suas demandas.

 

Por essa razão, aqui, vamos identificar quais são as coberturas disponíveis. Da mesma maneira, também é possível consultar um corretor de seguros ou agência de viagem para auxiliá-lo nessa tarefa. Veja a seguir:

  • pagamento de fianças ou despesas legais para casos de prisão ou detenção;
  • assessoria para transmissão de mensagens urgentes;
  • auxílio na restituição e localização de bagagem;
  • pagamento de honorários advocatícios quando o viajante solicitar assistência jurídica;
  • reembolso para custos com hospedagem e alimentação quando houver atrasos de mais de 18 horas;
  • oferta de passagem aérea (ida e volta) para adulto que acompanhará um menor de 14 anos por motivo de acidente ou doença inesperada;
  • fornecimento de bilhete aéreo ao assegurado que ficar impossibilitado de continuar sua viagem;
  • reembolso de dinheiro, no caso de interrupção de viagem, motivada por acidente pessoal, doença ou morte de familiar;
  • reembolso de depósito quando o contratante não puder iniciar a viagem por morte, doença ou acidente de familiares ou dependentes — informado até 48 horas à seguradora;
  • pagamento de translado do corpo que inclui liberação, passagem e embalsamento;
  • total cobertura na repatriação médica do contratante para um hospital no seu local de residência;
  • pagamento da transferência do assegurado para um hospital, após o atendimento de primeiros socorros;
  • indenização por danificações à bagagem por meio de relatório comprovatório;
  • indenização por extravio, furto, roubo e destruição de bagagem que esteja sob responsabilidade da transportadora e que também precisa ser comprovado. Nesse caso, o valor pago fará referência ao peso e não ao conteúdo da mala;
  • pagamento de hospedagem de até 10 dias para acompanhante do segurado nos casos de remoção hospitalar — avise a seguradora;
  • indenização para compra de passagem aérea no país de origem para a pessoa indicada pelo segurado, nos casos de acompanhamento de hospitalização prolongada — necessita de comunicação antecipada;
  • reembolso para hospedagem em hotel de até 10 dias para prorrogação de internação — não se esqueça de apresentar o atestado médico;
  • pagamento de despesas com medicamentos realizado após apresentação de receita médica;
  • pagamento de tratamentos odontológicos de urgência causados por doença ou acidentes;
  • pagamento de fisioterapia recomendada para o tratamento de lesões ocasionadas no período da viagem e indicada pelo médico que atendeu o segurado;
  • restituição das despesas com saúde — sem considerar as doenças preexistentes.

Existem diferenças entre os seguros para viagens nacionais e internacionais?

Não, porém no caso das viagens nacionais, a distância mínima exigida para a contratação é de 100 quilômetros entre a origem e o destino do viajante.

 

No entanto, para algumas viagens internacionais, ele é obrigatório.  27 países da Europa exigem que o turista possua um seguro de cobertura equivalente a 30 mil euros.

 

Fora desse eixo, vale citar os Emirados Árabes, Cuba, Turquia e Qatar como países que também exigem a assistência.

 

Para ajudar a sua programação, nós listamos as nações do continente europeu que exigem o seguro. São elas:

  • Áustria
  • Alemanha
  • Dinamarca
  • Bélgica
  • Espanha
  • Eslovênia
  • Eslováquia
  • Estônia
  • França
  • Finlândia
  • Grécia
  • Hungria
  • Holanda
  • Irlanda
  • Islândia
  • Itália
  • Luxemburgo
  • Lituânia
  • Letônia
  • Malta
  • Noruega
  • Portugal
  • Polônia
  • Romênia
  • República Tcheca
  • Reino Unido
  • Suíça
  • Suécia

Quem pode contratar o serviço?

É comum que os contratos dos seguros de viagem sejam baseados nas mesmas condições dos seguros de vida. Sendo assim, muitas agências estabelecem limites etários que variam suas permissões de 65 até 70 anos.

 

Porém, há empresas personalizadas que já oferecem serviços com planos especiais que dão assistência às pessoas com idades superiores aos limites citados.

 

Já para menores de 14 anos, a limitação ocorre somente nos casos de gastos com funeral ou acidentes, e a indenização só acontece mediante apresentação dos documentos que comprovem os gastos.

 

Existem riscos que não são assistidos pelos seguros de viagem?

Esse é um quesito muito importante e que deve ter a atenção do viajante, pois isso garantirá que surpresas indesejáveis causem maiores problemas.

 

As ocasiões não previstas nas cláusulas contratuais são chamadas de riscos excluídos. Desse modo, quando fechar um contrato, esteja atento a tais regulamentações, evitando, assim, prejuízos financeiros.

 

Os principais riscos excluídos são os seguintes:

  • serviços solicitados pelo contratante sem autorização da seguradora;
  • indenização por danos, extravio ou violação de objetos que estejam dentro da bagagem;
  • tratamento nos casos de epidemia, endemias ou pandemias;
  • cobertura de assistência médica se o assegurado tiver praticado atividade de grande risco sem habilidade;
  • pagamento de despesas com tratamentos de fisioterapia, odontológico ou médicos que sejam considerados de rotina;
  • assistência para tratamentos psiquiátricos;
  • cobertura para acidentes provocados por manuseio de material nuclear ou similares;
  • assistência por envolvimento em guerras, tumultos ou rebeliões;
  • quando as lesões ou mortes forem decorrentes de crime ou mau comportamento;
  • quando as doenças ou acidentes forem provocados por uso de drogas ou etilismo;
  • cobertura a danos provenientes de imperícia, imprudência, negligência ou irresponsabilidade ao dirigir um automóvel;
  • em casos de eventos relacionados aos fenômenos naturais, como os terremotos, os vulcões, as inundações, os furacões, os maremotos, entre outros;

Qual o tempo estimado para que o contratante reembolse o seu dinheiro?

No Brasil, o prazo estimado para que as seguradoras reembolsem os seus clientes é de 30 dias. Todavia, para que isso ocorra dentro do período, será imprescindível que ele comprove as documentações previstas nas cláusulas da apólice de seguro.

 

Lembre-se de que, muitas vezes, as exigências documentais poderão ser de acordo com tais cláusulas — sendo assim, tenha em mãos tudo o que for exigido e justifique as suas demandas.

 

Quando for o caso, o cliente deverá preencher um formulário de solicitação fornecido pela contratada. Normalmente, esse requerimento exigirá a identidade, o comprovante residencial e o CPF, além de outros documentos que podem ser solicitados mediante cada situação.

 

Qual a documentação necessária para solicitar as indenizações?

Gostaria de saber com mais detalhes quais seriam os comprovantes necessários para justificar a solicitação das indenizações? Confira a seguir:

 

Invalidez total ou parcial causada por acidente

Apólice individual; aviso de evento assinado por médico; atestado do médico responsável pelo atendimento com reconhecimento de firma; atestado do primeiro atendimento; laudos médicos que comprovem a invalidez; certidão de casamento; certidão de nascimento dos filhos; boletim de ocorrência policial; laudo do IML; documentos pessoais.

Morte acidental

Contrato do seguro; aviso de sinistro oferecido pela segurado e assinado com CRM pelo médico responsável; certidão de óbito; documento de nascimento ou casamento; CPF; identidade; comprovante de residência; certidão de nascimento; identidade e CPF dos filhos; boletim de ocorrência policial; laudo do IML (Instituto Médico Legal); laudo de exame toxicológico; carteira de habilitação e inquérito policial, se for o caso.

Despesas médicas e odontológicas

Laudos médicos; relatório de ocorrência juntamente do certificado individual e os recibos originais de pagamentos.

Despesas legais, fianças e assistência jurídica

Comprovação das despesas com fiança e custas de processo; comprovação emitida por autoridade local sobre a prisão ou detenção; cópia da ocorrência emitida pela polícia local; cópias dos documentos de defesa; recibos dos honorários advocatícios.

Cancelamento de viagem

Laudo médico ou certidão de óbito; comprovação de acidente ou doença; comprovação das multas relativas a companhia aérea; cópia de passagem se for utilizado outro tipo de transporte; contrato da prestação de serviços relativos a organização do roteiro.

Despesas com medicamentos

Prescrição médica e notas fiscais.

Atrasos de voo

Declaração fornecida pela companhia confirmando o atraso; comprovantes de despesas com hotéis e alimentação e cópia do bilhete aéreo.

 

Atraso na liberação das malas

Notas fiscais que comprovem gastos com vestimentas ou produtos de higiene; ticket da bagagem e relatório da transportadora comprovando o fato.

 

Roubo, furto, extravio ou danos à bagagem

Boletim de ocorrência policial; declaração de não ressarcimento fornecido pela transportadora; cópia de passagem e cartão de embarque mais recibo de indenização dado pela companhia aérea; ticket original de bagagem; relatório da transportadora informando o ocorrido; aviso do evento com data e período da viagem.

 

Como escolher uma corretora de seguros?

Depois de conhecer sobre tantas informações a respeito das coberturas oferecidas pelas agências e cartões de crédito, chegou o momento de uma dica primordial: a escolha da melhor corretora de seguros.

 

Tenha em mente que essa é uma decisão que deve ser tomada com consciência e sem precipitação. Para isso, faça uma pesquisa, esteja atento às informações disponíveis nas páginas oficiais e, quando tiver alguma dúvida, não hesite de entrar em contato a fim de sanar todos os seus questionamentos.

 

Faça uma cotação de seguros e compare os preços, buscando o melhor custo-benefício. Existem ferramentas que podem lhe auxiliar nessa missão e ajudar a encontrar excelentes alternativas com descontos atraentes.

 

É nessa etapa que poderá avaliar o plano que melhor se adapta ao seu perfil turístico. Por tal motivo, conheça item por item nas opções de assistências oferecidas nos contratos de cada seguradora. Opte por quem está preocupado em lhe dar as melhores orientações.

 

Por fim, você entenderá que transparência, atenção e uma relação de confiança são detalhes indispensáveis quando se é preciso tomar uma decisão tão importante. Confie naquela seguradora que valorizará o seu momento.

 

Pronto para viajar?

E agora, se sente mais seguro para contratar um seguro de viagem? Entendeu as diferenças entre essa modalidade e o seguro do cartão? Esperamos que este post tenha ajudado bastante a esclarecer e responder suas perguntas.

 

Agora, se está planejando seu próximo roteiro, já pode começar sua pesquisa e utilizar tais dicas para conseguir escolher os melhores pacotes. Ajuste suas exigências ao plano ideal, obtenha um serviço altamente qualificado — sem chances de arrependimentos!

 

Gostou do artigo? Gostaria de receber mais conteúdos sobre esse e outros temas relacionados à corretoria de seguros? Então, faça seu cadastro e assine nossa newsletter gratuita. Será um prazer mantê-lo bem informado!

0/5(0 Reviews)

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo