Cotação de seguros: a que você deve ficar atento?

Estilo de Vida
13/10/2017

Por: Milena

A vida moderna pode impor ao ser humano diversos tipos de riscos, e contratar um seguro é a melhor forma de prevê-los e minimizar seus impactos negativos. Atualmente, há inúmeras opções no mercado, por isso, a cotação de seguros é a etapa mais importante na hora de escolher uma corretora.

 

Pensando nisso, preparamos este post com tudo o que você precisa saber sobre cotação de seguros: o que é, qual é a sua importância e 7 perguntas que precisam ser feitas nessa fase para que a sua decisão final seja a melhor possível. Acompanhe!

 

O que é cotação de seguros?

A cotação de seguros está diretamente relacionada às diferenças entre seguradora e corretora: enquanto a seguradora é quem oferece o produto e é responsável por indenizar o cliente se a eventualidade segurada ocorrer, a corretora é quem comercializa esse serviço e deverá fazer cumprir o determinado no contrato, na apólice.

 

Assim, na hora de contratar o seguro, o lugar correto onde o cliente deve ir é em uma corretora, que fará a intermediação dos serviços entre a seguradora e ele. Portanto, cotar um seguro significa se informar sobre as condições do contrato e procurar o serviço que melhor se ajusta às suas necessidades.

 

Na cotação, a corretora orientará você sobre valores, prazos, apólices e, por meio de um profissional qualificado — o corretor —, tentará encontrar as melhores soluções para o seu caso.

 

Qual é a importância de cotar antes de contratar um seguro?

Uma apólice de seguro é composta por diversas cláusulas e termos que podem ser complicados de entender por uma pessoa leiga. Já imaginou pagar por um serviço sem ao menos saber do que se trata?

 

Para evitar esses transtornos e mal-entendidos, é que a cotação de seguros exerce o papel fundamental de deixar todos os detalhes, coberturas e valores de franquia bem claros para o segurado.

 

Por isso que, mesmo que o seguro cotado esteja mais barato em uma corretora do que em outra, é importante avaliar se ambas oferecem suporte adequado ao cliente — caso contrário, o barato poderá sair caro. Na maior parte das vezes as maiores diferenças de preço estão relacionadas a coberturas diferentes, limites segurados menores, franquias maiores, limitações de produtos.

 

7 perguntas que devem ser analisadas na cotação de seguros

Agora que você já entendeu como funciona a cotação de seguros, vamos ao que realmente interessa: quais são as perguntas que você deve fazer, a si e ao corretor, antes de fechar um contrato de seguro? Confira abaixo!

 

1. Qual é a cobertura do seguro?

A cobertura é a garantia de proteção da seguradora contra o risco de determinado evento. No seguro de automóveis, por exemplo, há diversos tipos de coberturas — algumas são mais básicas e incluem indenizações apenas nas hipóteses de roubo, outras englobam colisões e danos causados por forças da natureza.

 

Saber os tipos de riscos dos quais você estará protegido é indispensável para não ter aborrecimentos justo no momento em que mais precisar de auxílio.

 

Para citar um exemplo, reflita: você mora em uma cidade perigosa? Então, talvez um seguro para o seu smartphone seja interessante.

 

2. O que o seguro não cobre?

Embora estar ciente do que o seguro abrange seja importante, saber o que está excluído da apólice é imprescindível. Muitas vezes, não imaginamos situações adversas que podem ocorrer em nosso cotidiano e, por isso, não visualizamos a necessidade de assistência.

 

Assim, se você não tiver essas informações, em caso de um imprevisto, acabará pensando que poderá contar com a proteção quando, na verdade, terá de resolver o infortúnio de uma maneira mais dispendiosa.

 

3. Como funciona a franquia?

A franquia nada mais é do que o valor que o segurado terá de arcar, em caso de sinistro, para que o seguro cumpra a sua parte do contrato. Em geral, existem três tipos de franquias:

  • normal;
  • reduzida;
  • ampliada.

Quando a franquia é reduzida, a tendência é que você pague uma taxa menor para acionar a seguradora, mas o valor do seguro — prêmio — tende a ser maior. Por outro lado, na franquia ampliada, você paga mais barato no seguro e uma franquia maior se precisar usá-lo. A normal é o meio termo entre as duas.

 

O ideal é comparar os preços oferecidos pelas corretoras com o mesmo tipo de franquia para saber qual se encaixa em seu orçamento e atende às suas expectativas.

 

4. Quais são os termos do contrato?

Mesmo que o corretor explique de forma clara todos os detalhes do seguro, jamais assine o contrato sem antes ler o documento cuidadosamente e se atentar para todas as suas cláusulas. Esteja especialmente atento se os seus dados pessoais e de perfil de risco estão corretos pois qualquer erro pode comprometer e até anular a cobertura do seguro.

 

O contrato é a “lei” do seguro, é a ele que você recorrerá caso a seguradora se recuse a prestar determinado serviço ou a pagar alguma indenização. Tudo que estiver escrito obriga as partes e pode ser cobrado judicialmente. Além disso, o contrato também é a sua salvaguarda caso os serviços prestados pela corretora não estejam de acordo com o combinado inicialmente.

 

5. A corretora tem boa reputação no mercado?

O amplo leque de corretoras atuando no ramo de seguros torna a escolha para o cliente um verdadeiro dilema. Por esse motivo, após pesquisar preços e fazer a cotação de seguros, você deve desempatar a sua decisão levantando boas referências sobre a empresa. Busque responder perguntas como:

  • Qual é a reputação com os clientes?
  • A empresa conta com corretores profissionais e bem preparados para orientar os segurados?
  • Como é o seu relacionamento com outras seguradoras e parceiras comerciais?

Empresas com credibilidade e uma cartela de clientes fidelizados transmitem segurança para seus segurados que, dificilmente, terão dores de cabeça no futuro.

 

6. Há benefícios adicionais?

Muitas seguradoras oferecem benefícios adicionais aos seus clientes. No caso do seguro automotivo, por exemplo, há os serviços de guincho e carro extra, que podem ser úteis em um imprevisto. Algumas empresas também oferecem clubes de vantagens em que o cliente pode adquirir produtos de várias lojas com descontos.

 

Mesmo que esses benefícios gerem um custo, pode ser interessante conhecê-los antes de fechar o negócio. O que acontece com muitos consumidores, é que eles não sabem que esses adicionais fazem parte de seu pacote e acabam não desfrutando deles.

 

7. O corretor é atencioso e sabe orientá-lo?

Um dos pontos-chave para garantir a melhor decisão quanto à corretora de seguros é observar se a empresa tem um corpo de profissionais especializados dispostos a ajudá-lo a refletir sobre a cobertura ideal para você, comparar preços com as concorrentes e oferecer opções de pagamento viáveis.

 

Dessa forma, você ficará livre de se preocupar com os mínimos detalhes e poderá assinar o contrato com mais segurança. Afinal, não correrá o risco de fazer um mau negócio por falta de conhecimento.

 

Mesmo que você já tenha contratado a proteção e queira fazer a renovação, a cotação de seguros não deve ser dispensada. Vale ressaltar que é nessa fase que você terá maior poder de barganha por descontos e benefícios. Com mais opções, fará escolhas mais acertadas, que trarão tranquilidade à sua família.

 

Gostou de nosso post? Então, que tal conhecer o serviço de seguro auto?

0/5(0 Reviews)

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo