Preocupado com o pet? Conheça os melhores cuidados com cães idosos!

Estilo de Vida
28/11/2018

Por: Milena

Os animais de estimação são considerados membros da família para uma grande parcela da humanidade. Afinal de contas, a relação de afeto com esses bichinhos evidencia o peso que eles exercem em nossas vidas. Entretanto, como lidar com a velhice desses parceiros? Dedicamos este conteúdo aos cuidados com cães idosos.

Tal como ocorre com a nossa espécie, com o passar dos anos aumenta a possibilidade de surgirem condições médicas. Por isso, precisamos discutir esse tema, na constante tentativa de melhorar a qualidade de vida dos nossos amigos animais. Acompanhe!

Quais os principais cuidados com cães idosos?

Especificamente na situação dos pets idosos, trata-se de tornar a velhice prazerosa, minimizando eventuais problemas. Sendo assim, elencamos abaixo os quatro melhores cuidados a um cão idoso, capazes de manter a existência deles feliz e ativa. Confira!

1. Medicamentos

Apesar de não ser unânime entre todos os cães idosos, a velhice pode deixá-los bastante frágeis em função da queda na eficiência do sistema imunológico. Dessa maneira, podem contrair doenças com maior facilidade.

E é nessa circunstância que os medicamentos passam a ser protagonistas nos custos de manutenção da saúde do seu cãozinho.

2. Ração especial

Esse é um cuidado fundamental durante essa etapa da vida. O princípio lógico para alimentá-lo com a ração apropriada é o mesmo utilizado aos filhotes. Os dois extremos desse espectro de idade exigem maiores quantidades nutricionais, específicas a cada um deles.

Sobretudo, entenda que as rações para cães de idade sênior contemplam:

  • baixo valor calórico: fundamental à idade em que a perda de massa é difícil;
  • alto teor nutricional: essencial à idade em que a absorção de nutrientes está debilitada.

Agora, para além do alimento, precisamos discutir a alimentação em si. Entenda que os cães, quando idosos, podem apresentar uma série de complicações relacionadas ao momento de comer, como a sobrealimentação, acarretando a obesidade e consequentes complicações médicas a partir desta.

Além disso, observe algumas circunstâncias e como solucioná-las:

  • se o cão estiver subnutrido, bastante magro, torna-se fundamental alimentá-lo com rações para filhotes, com alto teor calórico;
  • se o cão não beber água com frequência, torna-se recomendável alimentá-lo com mais comidas úmidas, como patês e afins;
  • se o cão come muito ansiosa e rapidamente, espalhe a comida por uma extensa superfície, promovendo uma alimentação mais calma e evitando uma torção gástrica, recorrente na velhice.

Para além de todos os exemplos citados, lembre-se do conselho mais fundamental no acompanhamento da saúde do seu amigo: leve-o periodicamente à clínica veterinária de sua confiança! Apenas o profissional competente conseguirá determinar as especificidades médicas do seu amigo pet.

3. Fraldas

Apesar de os cães idosos terem um longo período de experiência e adaptação doméstica, a velhice contrapõem toda essa educação canina. Afinal de contas, o animal que sofre com incontinência fecal ou urinária mal se dará conta de que está fazendo suas necessidades fisiológicas — mesmo quando isso acontece no meio da sala.

Portanto, de maneira bastante similar à velhice humana, a senilidade dos cães exige muita compreensão, compaixão e tolerância. Sendo assim, aos cãezinhos acometidos por essa involuntariedade biológica é indispensável a utilização de fraldas.

4. Companhia

Além de ter os animais, independentemente de suas idades ou condições, entenda que a companhia é um fator muito relevante nos últimos anos da vida de um animal. Diferentemente de um cachorro mais jovem, que consegue se entreter até com a própria sombra, durante a sua ausência, o cão idoso precisa sentir a presença de seus tutores.

Em realidade, grande parte das pessoas acreditam que os cães idosos gostam de se isolar, pelo fato de dormirem muito mais do que um cão jovem, mas entenda que isso está profundamente errado. O cachorro pode adotar uma postura melancólica e apática justamente pela alienação promovida pela família.

Sendo assim, sempre que possível, promova a alegria do seu velho amigo. Tente estimulá-lo a brincar, respeitando suas condições e limitações físicas. Mesmo que seja para assistir a um filme na sala, traga-o ao conforto, segurança e zelo da sua companhia.

Qual a importância de um seguro pet ao animal sênior?

Atualmente, temos cada vez mais necessidade de proteger os nossos bens. No entanto, você sabia que existe a possibilidade de contratar um seguro voltado ao seu amigo animal?

Os seguros pet — apesar de existirem em uma vasta gama de idades e coberturas — são fundamentais para garantir uma boa qualidade de vida ao animal sênior. 

Quais as principais coberturas de um seguro pet?

Bacana! Além de conhecer os principais cuidados ao seu cão idoso, agora você está interessado em melhorar o cotidiano do seu animal. Sendo assim, conheça as principais coberturas de um Seguro Pet Sênior, específico aos amigos de quatro patas com mais de nove anos de idade.

Um bom plano Pet Sênior garante ao cãozinho cadastrado preços especiais para consultas no Pet Home, além dos serviços Pet Phone, DigiPet, Pet Club e vacinas anuais.

E aí, gostou deste post elencando os principais cuidados com cães idosos? Então aproveite a visita em nosso blog para ler o conteúdo “O que é preciso saber na hora de contratar um seguro para pet?”, melhorando a qualidade de vida do seu amigo animal!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo