Entenda como funciona o regresso sanitário no seguro viagem

Viagem
1/03/2019

Por: Milena

Viajar para o exterior requer um bom planejamento e todos os preparativos devem ser feitos com atenção. Afinal, ninguém quer ter problemas com hospedagem, alimentação ou transporte. Porém, um item que não pode faltar é o seguro viagem. Acontece que algumas coberturas básicas desse tipo de seguro ainda causam dúvidas a muitas pessoas, como é o caso do regresso sanitário.

Neste artigo, veremos o que é o seguro viagem e como ele funciona. Você também entenderá o que é o regresso sanitário e por que essa cobertura é tão importante. É claro que você quer fazer uma viagem tranquila e se concentrar no que há de melhor: os momentos alegres que você terá junto com a sua família. Portanto, continue lendo para conhecer o seguro viagem e o regresso sanitário.

O que é e como funciona o seguro viagem?

O seguro viagem garante indenização caso ocorram certos incidentes durante o período da viagem. Ele é tão importante que alguns países não permitem o desembarque de estrangeiros que não tenham feito o seguro, como é o caso da maioria dos países europeus. Porém, há países, como os Estados Unidos, que não fazem essa exigência. De qualquer forma, o serviço de saúde americano é tão caro que vale muito a pena contratar um seguro viagem.

Algumas coberturas são básicas e você também pode optar por proteções adicionais. Entre as coberturas básicas, está o reembolso de despesas médicas, hospitalares e odontológicas. Além disso, por meio da cobertura de traslado médico, é possível ser indenizado pelas despesas decorrentes do transporte após o atendimento em uma unidade de pronto-socorro. Outra cobertura importantíssima é o regresso sanitário, e é sobre ela que falaremos agora.

Como funciona o regresso sanitário e por que ele é tão importante?

Alguns acidentes podem deixar a pessoa sem condições de retornar para o país de origem em um voo regular. Além de acidentes, doenças graves podem surgir durante a viagem, de forma que seja necessário um transporte especial para que a pessoa retorne para sua casa.

Nesses casos, os médicos talvez determinem que o paciente só poderá retornar ao seu país acompanhado de uma equipe médica e com o apoio de itens de cuidados intensivos. Aqui está um dos detalhes fundamentais dessa cobertura: apenas os médicos podem recomendar o regresso sanitário, também chamado de repatriação médica. Essa decisão não está a cargo do segurado, nem da seguradora.

A repatriação médica pode custar algumas centenas de milhares de reais. Afinal, trata-se de transporte em avião ambulância ou avião regular adaptado para cuidados intensivos, com a companhia de uma equipe médica. Imagine ter que arcar com uma despesa tão grande! Por isso, contratar um seguro viagem é mais do que justificado!

O que o regresso sanitário não cobre?

Visto que o seguro viagem vale até o momento em que o segurado retorna à sua origem, as despesas médicas que ocorrem daí em diante não são cobertas pelo seguro. Nesse caso, os custos ficarão a cargo da rede pública de saúde, do plano de saúde do segurado ou do serviço médico privado.

Além disso, o seguro também não cobrirá o regresso sanitário se ele não for realizado exatamente da forma como os médicos determinaram. Por fim, a seguradora não cobrirá os custos do transporte no caso de o paciente ter condições de utilizar um voo regular.

Conforme você viu neste artigo, é muito importante ter um seguro viagem. Afinal, essa é uma ótima forma de cuidar da sua família. O regresso sanitário é apenas uma das várias coberturas que proporcionarão tranquilidade a vocês. Assim, poderão aproveitar o passeio sem preocupações!

A Pulso Corretora de Seguros terá prazer em lhe ajudar a escolher o melhor plano para a sua família. Portanto, acesse o nosso site para conhecer todas as nossas coberturas!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo