Sinistro do auto: quando e como acionar?

Automóvel
4/07/2018

Por: Milena

Um dos pontos mais importantes que devem ser compreendidos por quem possui um seguro veicular é o sinistro do auto. O sinistro corresponde às ocorrências involuntárias e imprevistas presentes no contrato de seguro, como acidentes de trânsito, incêndio acidental, roubo, furto e prejuízos em geral.

Mas, então, o que significa acionar o sinistro? Na verdade, é o mesmo que acionar o seguro. Significa informar à seguradora o que aconteceu para que ela possa ajudar. Esse é um dos procedimentos mais importantes para garantir a sua cobertura, por isso é imprescindível ficar bem informado.

Neste post, vamos mostrar quando e como você deve acionar o sinistro do auto. Confira a seguir!

Tipos de sinistro

Antes de compreender quando você deve acionar o sinistro do auto, é interessante saber que existem diferentes tipos de cobertura. São basicamente duas situações.

Nos casos em que o carro não pode ser recuperado, aciona-se o sinistro integral — conhecido popularmente como “perda total”. Nessa situação, a seguradora garantirá o valor total do carro.

Já nos casos em que o automóvel puder ser consertado, será acionado o sinistro parcial. São consideradas parciais as avarias que correspondem a até 75% do valor de avaliação do bem.

Por exemplo: se você bater o carro e danificar o para-choque, o dano será parcial. Já se o estrago for grande e o valor do conserto ultrapassar 75% do preço do carro (digamos, mais de R$ 37.500 para um carro de R$ 50.000), o sinistro será considerado como integral. A cobertura integral também vale para casos de roubo e furto nos quais o carro não foi recuperado.

Quando e como acionar o sinistro do auto?

Quando alguém bate no seu carro e não assume a culpa

Se a pessoa que provocou a colisão não puder ser determinada (por exemplo, se o motorista fugiu do local) ou não estiver disposta a se declarar responsável pelo ocorrido, você pode acionar sua seguradora imediatamente.

Nesse mesmo contato, já agende uma vistoria na oficina onde seu carro será consertado. Detalhe: normalmente, as seguradoras possuem oficinas parceiras que oferecem benefícios, como desconto na franquia ou carro extra.

Depois de enviar as informações necessárias, o seu relato passará por uma equipe de análise. Essa equipe constatará a cobertura para que, em seguida, seu veículo seja vistoriado e liberado para o conserto.

Quando você bate o carro

Se você bateu o carro e os danos foram significativos, entre em contato com a seguradora para agendar uma vistoria na oficina. Caso o carro não possa ser ligado, a própria seguradora poderá ajudar com o guincho.

Depois disso, mais uma vez, as informações passarão por análise para que o conserto do automóvel possa ser autorizado.

Caso você tenha batido no carro de outra pessoa, é possível utilizar o seguro contra danos a terceiros (apenas se você tiver contratado essa opção).

Quando seu carro é roubado

Em caso de roubo ou furto, a primeira ação a ser tomada é chamar a polícia e fazer um Boletim de Ocorrência (B.O.). Após isso, você pode entrar em contato com a seguradora para receber orientações sobre como proceder.

A corretora solicitará o envio de todos os documentos para indenização parcial (caso o veículo seja encontrado com danos) ou integral (caso o veículo não seja localizado).

Quando seu carro pega fogo

Independentemente do estrago causado pelo fogo, o sinistro sempre pode ser acionado. Dependendo do padrão da seguradora, serão exigidos os documentos necessários para averiguar o caso e prosseguir com a cobertura.

Quando seu carro é vítima de enchente

Esse é um tipo de incidente que se torna cada vez mais comum nas grandes cidades brasileiras. Porém, o que muita gente não sabe é que o seguro pode ser acionado nos casos de enchente.

Mesmo que os danos pareçam pequenos, você pode acionar a seguradora para que uma vistoria seja feita.

Quando não acionar o seu sinistro do auto?

Quando alguém bate no seu carro e você é o terceiro

Se você decididamente não teve responsabilidade na colisão, será considerado como terceiro. Nesses casos, a sua cobertura será garantida pelo seguro de quem provocou o acidente.

Sendo assim, é de suma importância conversar com o motorista do outro veículo e anotar todos os dados dele: nome, endereço, número da CNH, entre outros. Quanto mais informações você tiver, melhor.

Também é fundamental consultar dados sobre o seguro do provocador do dano. Desse modo, você mesmo poderá contatar a seguradora do outro motorista e registrar um aviso de sinistro de terceiro. Ou seja, você não estará acionando o sinistro do seu automóvel, mas, ainda assim, poderá utilizar o sinistro de terceiro do outro motorista.

Para que o conserto seja feito, apresente o Boletim de Ocorrência e seus documentos. Em seguida, você será encaminhado a uma oficina credenciada.

Quando os danos são mínimos

Ao contratar o seguro, você escolhe um valor de franquia — uma taxa que será paga para que você possa usufruir da cobertura. Em alguns casos, quando os danos são muito pequenos, a franquia pode sair mais cara do que o conserto.

Nessas situações, pode não valer a pena acionar o sinistro. Ainda assim, não deixe de fazer o Boletim de Ocorrência em casos de acidentes com feridos, furto ou roubo.

Como acionar o sinistro: dicas extras para evitar o estresse

Caso haja feridos, chame a emergência

Se houver ferimentos (mesmo que leves) em qualquer pessoa, chame sempre a emergência e aguarde no local junto aos feridos até que o socorro chegue.

Reúna a documentação exigida pela seguradora

Ligar para a seguradora sem ter os documentos necessários só vai dar mais trabalho, já que você terá de fazer novos contatos. A documentação varia de uma empresa para a outra, por isso vale a pena prestar atenção às exigências da sua corretora.

A maior parte das seguradoras costuma pedir:

  • informações de data, horário e local do sinistro;
  • CNH do condutor;
  • outros documentos pessoais do condutor;
  • CRLV do veículo;
  • Boletim de Ocorrência;
  • formulário de sinistro da seguradora.

Faça o Boletim de Ocorrência em caso de roubo ou furto

Reforçando: em caso de roubo ou furto, o B.O. é item obrigatório para que o reembolso seja feito, pois ele serve como comprovante do sinistro. Sendo assim, não se esqueça de contatar a polícia e fazer o procedimento.

Viu só? Na grande maioria dos incidentes de trânsito, o sinistro do auto pode ser acionado. Para facilitar, informe-se de antemão sobre os documentos exigidos pela sua seguradora. Assim, caso um imprevisto aconteça, você estará mais tranquilo e preparado.

Gostou deste post sobre sinistro do auto? Então, assine a nossa newsletter para receber novos conteúdos!

Cadastre-se e receba nosso conteúdo exclusivo